top of page

RESPONSABILIDADE SOCIAL, COMISSÃO DEBATE AVANÇOS NA CONSTRUÇÃO

Notícia 04
crane-4433574_1920.jpg

A Comissão de Responsabilidade Social (CRS) da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) realizou  reunião no dia 14 de maio para debater estratégias voltadas ao avanço do setor da construção. Entre os principais tópicos em pauta estava a busca por apoio local para garantir o sucesso dos eventos em comemoração ao Dia Nacional da Construção Social (DNCS).

Durante o encontro, representantes, como Ana Crepaldi do Sindicato da Indústria da Construção de Sergipe (Sinduscon-SE), destacaram esforços em parceria com instituições como o Sesi e o Senai para fortalecer as celebrações e torná-las parte do calendário anual. "A realização do evento em diversos estados, em agosto, marca um momento importante para o reconhecimento do trabalho dos profissionais do setor", afirmou Ana Cláudia Gomes, vice-presidente de Responsabilidade Social da CBIC.

Ana Cláudia também enfatizou a importância da logística do evento, destacando a necessidade de garantir acessibilidade para os trabalhadores. "É fundamental que os locais sejam facilmente acessíveis por meio de transporte público, como ônibus e metrô, para que os trabalhadores possam participar plenamente das celebrações dedicadas a eles", concluiu. Essa iniciativa está alinhada com o projeto "Responsabilidade Social na Indústria da Construção" da CRS/CBIC, em parceria com o Serviço Social da Indústria (Sesi Nacional).

DIA NACIONAL

O Dia Nacional da Construção Social (DNCS) é um evento marcante no calendário da indústria da construção no Brasil. Realizado em diversos estados do país, geralmente em agosto, o DNCS tem como objetivo principal celebrar e reconhecer o trabalho dos profissionais do setor, destacando sua importância para o desenvolvimento econômico e social do país. Além da homenagem aos trabalhadores da construção civil, o evento busca promover a integração e o bem-estar desses profissionais, oferecendo atividades de lazer, saúde, cultura e educação para eles e suas famílias. Por meio do DNCS, as empresas e entidades do setor reafirmam seu compromisso com a responsabilidade social e o fortalecimento das comunidades onde atuam, contribuindo para uma indústria mais sustentável e humanizada.

Com informações da Agência CBIC

Segundo Carlos Eduardo Lima Jorge, vice-presidente de Infraestrutura da CBIC, o Brasil está avançando no desenvolvimento da infraestrutura com inovações para aprimorar serviços e obras, concentrando-se em eficiência e sustentabilidade, o que cria oportunidades para superar desafios. “Na área de infraestrutura, estamos presenciando um ciclo virtuoso repleto de oportunidades significativas para o país. No entanto, é crucial ressaltar que nenhuma dessas oportunidades se concretizará se não estiverem alinhadas com os princípios da sustentabilidade”, enfatizou.

Na área de saneamento, o presidente da Companhia de Saneamento do Paraná, Cláudio Stábile, destacou que o mundo vive um momento desafiador com os efeitos das mudanças climáticas. Para mitigar os danos já vivenciados e os que ainda estão por vir, Stábile apresentou o processo da economia circular com o foco no tratamento de esgoto. O processo visa associar o desenvolvimento econômico a um melhor uso de recursos naturais. “O binômio economia e ambiental é indissociável”, destacou.

Após adotar o processo tanto na essência quanto na prática, Stábile explicou que é possível utilizar 100% dos resíduos, resultando em redução de custos, aumento da geração de receitas e, mais importante, a preservação do meio ambiente. “É possível transformar o esgoto em energia elétrica, mobilidade sustentável, segurança da água e bio fertilizantes”, disse. O painel ainda apresentou exemplos de temas relacionados, trazendo dados ligados ao novo marco regulatório de saneamento e sustentabilidade no setor rodoviário.

 

Fonte: Agência CBIC

news1.fw.png
bottom of page