BOLETIM ECONÔMICO DESTACA TENDÊNCIAS DO COMÉRCIO EXTERIOR


Foto: Distel App Arath/Pixabay


A Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE) lançou o Boletim de Indicadores Econômico Fiscais de fevereiro, que traz uma análise do ano de 2021 e destaca o crescimento e as características do estado no comércio exterior. As exportações catarinenses atingiram um valor recorde em 2021 com um crescimento de 26,6%. O valor atingiu US$10,292 bilhões. As importações, via portos catarinenses, também foram destaque com crescimento ainda maior de US$24,9 bilhões, valor também recorde.


De acordo com o Secretário do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Luciano Buligon, Santa Catarina está acima da média nacional. “Temos os melhores índices de emprego e em 2021 também foi marcado pela expansão no comércio exterior. Com uma economia diversificada, somos segundo lugar no ranking de competitividade. Três dos cinco portos do Brasil que mais exportaram e importaram cargas em 2021 são de Santa Catarina. Com uma localização estratégica, competitividade tarifária, portuária e produção de qualidade, trabalhamos em 2022 com foco para gerar ainda mais oportunidades”, avalia.


O boletim traz ainda a atualização dos indicadores econômicos e fiscais do Estado, referentes ao acumulado de 2021, demonstrando o bom momento da economia catarinense, bem como comparações com os demais estados e a média nacional. O Boletim Econômico também destaca os atuais dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Dos 295 municípios catarinenses (92,54%) fecharam o ano de 2021 com um número maior de admissões do que demissões – foram 167.854 empregos criados ao longo do ano no período em todo o Estado.


No acumulado do ano, todos os grandes setores de atividade econômica obtiveram resultados positivos, a maior expansão ocorreu na construção, com um crescimento de 12,63% sobre o estoque de empregos, o setor de Serviços, criou 66.806 postos de trabalho, a indústria também se sobressaiu em 2021, onde registrou um saldo de 53.516 postos com destaque para o ramo de artigos do vestuário, que sozinho foi responsável por 9.945 postos.


Fonte: ASCOM Governo do Estado