CASA VERDE E AMARELA GERA EMPREGOS E MORADIA DIGNA

Esse é o maior programa mundial de habitação. Somente entre os anos de 2020 e 2021 foram contratadas mais de dois milhões de unidades residenciais para famílias de baixa renda.





O Brasil tem o maior programa mundial de habitação em execução na atualidade. Pelo Casa Verde e Amarela já foram contratadas mais de duas milhões de residências para famílias de baixa renda e que ficavam de fora do portfólio dos bancos, entre os anos de 2020 e 2021. Em plena pandemia, oito milhões de pessoas foram beneficiadas com a realização do sonho da casa própria.


E neste primeiro semestre, a Caixa contratou 25% a mais que o volume contratado em 2021. “Esse crescimento deve-se, principalmente, ao market share do SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo)”, disse o diretor executivo de Habitação da Caixa Econômica Federal, Rodrigo Wermelinger. As informações foram disponibilizadas durante um painel na Convenção do Secovi-SP, coordenado pelo presidente da Comissão Imobiliária da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CII/CBIC), Celso Petrucci.


De acordo com Wermelinger, a Caixa é o banco que trabalha com as taxas de juros mais vantajosas do mercado, por isso, tem apresentado tanto crescimento. Em 2021, foram aplicados R$ 57,8 bilhões do FGTS. E, neste ano, somente entre janeiro e julho, foram aplicados R$ 34,8 bilhões. “A nossa estimativa é de crescer 20% nesse ano, a partir do patamar de julho”, aposta.


Para o programa Casa Verde e Amarela, o diretor da Caixa disse que, em breve, será anunciada a ampliação do prazo de financiamento de 30 anos para 35 anos. Além disso, as mulheres serão beneficiadas, de alguma forma, por formarem núcleos unifamiliares, sendo responsáveis pelo pagamento das parcelas do financiamento. Wermelinger falou, também, que a taxa de inadimplência dos financiamentos da Caixa não passa de 2%.


O presidente da CBIC, José Carlos Martins, afirma que o que foi feito no Casa Verde e Amarela nos últimos tempos “foi o milagre da multiplicação dos pães”, pelo volume de pessoas atendidas. “Sem contar que o programa resulta em geração de empregos, impostos e moradia digna”, completa. Ele aproveitou para pedir apoio da Caixa na defesa dos recursos do FGTS. “Esse recurso não pode ser complemento de renda para se chegar até o final de mês. O trabalhador precisa entender que, ao sacar pequenos valores, está usando o seu patrimônio, voltado para socorrê-lo em situações muito bem definidas em lei”, ressaltou.


Fonte: Agência CBIC

whatsapp-g975d2881e_1280.png