Buscar
  • Vizzotto Editora

Cinco aprendizados para quem deseja empreender

São Paulo, 20 de março de 2018 - Encontrar a solução para um problema é a grande missão dos empreendedores modernos. Quando as novas ideias e as ferramentas de solução envolvem tecnologia e inovação, em um modelo de negócio com baixo custo, o desafio é conduzido por empresas chamadas startups.


rawpixel.com/pexels

Muitas pessoas contam com ideias inovadoras, mas se deparam com dificuldades de tirar do papel e criar um modelo de negócio para empreender. Pensando nisso, os vencedores da 6ª edição do Campus Mobile - projeto do Instituto NET Claro Embratel, que tem o objetivo de identificar e estimular a formação de jovens talentos universitários para atuação de conteúdos e novos serviços de telefonia móvel, além de contribuir para o desenvolvimento social do Brasil – compartilham cinco aprendizados para os jovens que desejam começar a sua startup.


1 - Pesquise temas que sejam do seu interesse para caçar oportunidades;


Quando falamos de uma startup, nos referimos a uma solução desenvolvida por uma empresa para resolver um problema existente. Vinicius Silveira, um dos vencedores do Campus Mobile com o projeto Raks, comenta que é interessante pensar em assuntos que sejam do seu interesse. “Se você gosta de música, por exemplo, pode pesquisar mais sobre algum instrumento. Dentro desse universo, poderá encontrar uma lacuna no mercado e ter uma ideia de algum produto dentro desse universo”, comenta o jovem.


Segundo Rafael Eiki, também vencedor do Campus Mobile com o projeto Vivros, atingir um problema real de uma população, não importando o tamanho dela, pode gerar mudanças na vida das pessoas. Quanto maior for este impacto, maior o potencial de transformação e do negócio. “Não basta querer fazer um aplicativo. É necessário pensar por que você quer fazer um. No caso da Vivros, a ideia surgiu da necessidade de levar recursos interativos para o livro de papel, que tem muitas vantagens para o desenvolvimento cognitivo infantil”, comenta o estudante.


2 – Mantenha diálogo com o público-alvo do seu produto;


Após ter a ideia em mãos, o próximo passo é validá-la. Para isso, Vinicius coloca como prioridade “botar” a cara no mercado e entrar em contato com o público-alvo e possíveis clientes que teriam interesse em comprar sua solução.


“Conheça bem o problema e o público-alvo, não só teoricamente, mas na prática também. Converse com um prospect, investigue, faça entrevistas. Não dá para tirar do papel se você não sair de casa”, comenta Rafael.


3 - Tenha o máximo de avaliações possíveis sobre sua ideia para moldar o produto e entender os diferenciais;


O caminho árduo de transformar sua ideia em um produto passa também pelo feedback do público-alvo que deseja atingir. “O mais importante é ter contato com quem está testando a sua ideia para você poder ter o máximo de avaliações possíveis. Só assim poderá fazer as alterações necessárias e moldar seu produto de uma forma que vá satisfazer as pessoas que deseja atingir. Isso vai fazer com que a sua solução tenha um diferencial e com que ela tenha uma boa aderência no mercado”, afirma Vinicius.


Como exemplo desse processo, Rafael relata que nos primeiros testes da Vivros com o público a receptividade foi incrível. “Já com os testes mais avançados, conseguimos perceber como isso alterava o processo de leitura e colocávamos as crianças a frente da decisão do que elas queriam explorar na história. O livro deixou de ser um monte de papel para se tornar um mundo a ser explorado e reexplorado, apresentando novidades de acordo com cada criança”, comenta o estudante.


4 - Pense em como a sua ideia pode ser monetizada, de uma forma que faça sentido para você e usuário;


Como estamos falando de empreendedorismo, não podemos deixar de pensar no lado financeiro e em como monetizar o seu produto de uma forma que faça sentido tanto para você quanto para o usuário. É fundamental pensar no modelo de negócio. 


“O empreendedorismo é um ramo de altos e baixos, uma verdadeira montanha russa, então é necessário estar preparado para enfrentar tudo isso com muita coragem e dedicação. Não podemos ter medo de errar. E, de preferência, devemos buscar errar rápido e barato, tentando obter o máximo de conhecimento possível de cada situação”, comenta Fabiane Kuhn, vencedora do Campus Mobile com o projeto Raks.


5 - Inscreva sua ideia em um programa de incentivo;


No Brasil, há diversos programas que estimulam e ajudam os jovens na criação e desenvolvimento de suas ideias. Dentre eles está o Campus Mobile, iniciativa que estimula o empreendedorismo aproximando o jovem do mercado de trabalho em contato com renomados profissionais que os orientam no desenvolvimento de ideias de aplicativos e serviços.


O programa é uma boa oportunidade para os jovens, já que que contam com uma avaliação de profissionais qualificados e também com a ajuda de mentores do Laboratório de Sistemas Integráveis da USP.


O Campus Mobile orienta o desenvolvimento das ideias dos jovens inscritos no programa para dar suporte às equipes em suas decisões. “A abordagem que realizamos com os inscritos no programa, muitas vezes, busca trazer novos olhares para as ideias e modelos de negócios que esses jovens desejam seguir, usando a experiência de nossos pesquisadores, de profissionais do mercado de tecnologia e telecomunicações e até mesmo de ex-participantes do programa. Tudo isso para dar suporte a cada decisão que será tomada pelos jovens empreendedores inscritos no programa”, comenta Roseli de Deus Lopes, professora da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo.


Para contribuir com o desenvolvimento, o programa ainda oferece aos vencedores uma viagem ao Vale do Silício - o maior polo de inovação do mundo - que contempla visitas a pontos de fomento do conhecimento, de tecnologia e da inovação, como as sedes do Google, Twitter, Facebook e a Universidade de Stanford. 


“O caminho para tornar uma ideia em algo real não é fácil, é totalmente desafiador, mas vale a pena. É gratificante conseguir olhar para algo que você mesmo desenvolveu e sentir orgulho”, afirma Fabiane.


Projetos vencedores da 6ª edição do Campus Mobile


A última edição do Campus Mobile contou com os seguintes projetos como vencedores: Vivros é uma plataforma para a criação de livros com técnicas interativas em papel, que inclui um aplicativo que permite o uso de mídias, câmera e sensores de celular para enriquecer a experiência da leitura; Raks é um aplicativo sustentável, que mantém sistema para o acompanhamento da umidade do solo em lavouras e permite o controle do sistema de irrigação; Juke Fiesta é um game eletrônico que tem como objetivo o desvio de obstáculos. A temática mexicana é o pano de fundo da trama, que traz mecânicas de dodge e parry, além de diversos personagens.


SOBRE O INSTITUTO NET CLARO EMBRATEL 


A área de Responsabilidade Social do Grupo Claro, composta pelas marcas NET, Claro e Embratel, investe continuamente em ações relacionadas à Educação e à Cidadania, por meio do Instituto NET Claro Embratel, com o objetivo de atuar em frentes sociais que integram a tecnologia e a informação como fonte de desenvolvimento e conhecimento. Desta forma, realiza e apoia projetos como o Campus Mobile, o Educonex@o, o Programa Dupla Escola, entre outros. O Instituto NET Claro Embratel é qualificado como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP) pelo Ministério da Justiça, e é reconhecido pelo Departamento de Informação Pública das Nações Unidas (DPI/ONU) como uma organização não governamental corporativa que promove os ideais e princípios sustentados pela Carta das Nações Unidas. Além disso, através de sua Plataforma Institucional, as marcas NET, Claro e Embratel propõem a conexão entre as pessoas para a construção de um amanhã gigante. O movimento é parte de uma inciativa que aborda a gestão corporativa e manifesta o compromisso com a sociedade.

5 visualizações

Centro Empresarial Sibara

Avenida Brasil, 1500, sala 317

Centro | Balneário Camboriú

88.330-901

CONTATO:  (47) 3264.9639  |  3361.0191   |   3398.3820   |   9936.0147

Copyright © 2018 Vizzotto Editora - Todos os direitos reservados.