Buscar
  • Vizzotto Editora

CONSTRUÇÃO CIVIL REGISTROU MAIOR ALTA NOS ÚLTIMOS SEIS ANOS


Foto: Frre-Photos/Pixabay


O estudo Sondagem da Construção, realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) com o apoio da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), demonstrou a percepção dos empresários da construção civil em 2020 e projeta as expectativas para 2021. Entre as principais boas notícias, é que o setor registrou só no 3º trimestre de 2020, a maior alta do seu PIB nos últimos seis anos. Na visão dos empresários, o setor iniciou 2020 com crescimento em relação ao final de 2019.

Em março e abril de 2020, no auge da crise provocada pela Covid-19, o Índice do Nível de Atividade obteve recuou quase 20 pontos mas, a partir de maio, iniciou um processo de forte recuperação, principalmente nos meses de agosto, setembro e outubro, em que os resultados foram os mais expressivos desde o final de 2012. Segundo os empresários entrevistados, o patamar de atividades de outubro de 2020 (50,7 pontos) é superior ao final de 2019 (49,9 pontos).

No estudo, observa-se que todos os segmentos do setor (Construção de Edifícios, Obras de Infraestrutura e Serviços Especializados para Construção) registraram recuperação de suas atividades em relação ao auge da crise e estão com patamares mais elevados do que no início do ano.

O Índice de Confiança do setor atingiu 58,9 pontos em novembro e já recuperou o patamar perdido no auge da crise provocada pela pandemia do novo Coronavírus (34,8 pontos em abril de 2020). O patamar alcançado no mês de novembro/20 é superior a média histórica do indicador, que é 53,6 pontos.

EMPREGOS

Segundo a pesquisa, a Construção Civil liderou a geração de novas vagas com carteira assinada no Brasil nos primeiros dez meses de 2020. Somente de janeiro a outubro/2020 a atividade gerou 138.409 novos postos de trabalho com carteira assinada, conforme os dados do novo Caged, divulgados pela Secretaria Especial da Previdência e Trabalho, do Ministério da Economia. Este foi o melhor resultado apresentado pelo setor, para este período, desde 2013, quando 207.787 novas vagas foram geradas.

O número de trabalhadores com carteira assinada na Construção Civil cresceu 6,4% de janeiro a outubro de 2020. Isso significa que, enquanto no final do ano passado o setor possuía 2,167 milhões de trabalhadores, esse número passou para 2,305 milhões em outubro/20.

Em 12 estados brasileiros, o setor foi o campeão na geração de vagas. Somente em Santa Catarina, 5.125 novos postos de trabalhos foram criados.


FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO

Nos primeiros dez meses de 2020, os empréstimos destinados à aquisição e construção de imóveis, com recursos do SBPE, totalizaram R$92,67 bilhões, o que correspondeu a um incremento de 48,8% em relação a igual período de 2019 (R$62,258 bilhões).


Já o volume de financiamento de janeiro a outubro já superou o valor total financiado em 2019 (R$78,702 bilhões). Além disso, o valor financiado em 2020, até outubro, foi o maior para o período desde 2014. De janeiro e outubro deste ano foram financiadas 324,6 mil unidades, o que correspondeu a 36,8% de alta em relação a igual período de 2019 (237,4 mil).


Este foi o maior número de unidades financiadas para o período desde 2014. Além disso de janeiro a novembro deste ano, o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) financiou 388.711 unidades no país, o que correspondeu a um valor de R$ 47,492 bilhões.

Para 2021 a perspectiva indica expansão de 3,5% para a economia brasileira, enquanto a Construção poderá registrar incremento de 4% em seu PIB. Caso confirmado, esse será o maior crescimento do setor desde 2013 (4,5%).


Fonte: CRECI/SC

13 visualizações0 comentário

Centro Empresarial Sibara

Avenida Brasil, 1500, sala 317

Centro | Balneário Camboriú

88.330-901

CONTATO:  (47) 3264.9639  |  3361.0191   |   3398.3820   |   9936.0147

Copyright © 2018 Vizzotto Editora - Todos os direitos reservados.