DECISÃO DO COPOM DE AUMENTAR A SELIC FOI PRECIPITADA, AVALIA CNI



Foto: ar130405/Pixabay


A Confederação Nacional da Indústria (CNI) considera precipitada a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central do Brasil, de aumentar a taxa básica de juros (Selic) em 0,75 ponto percentual. O presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, afirma que a segunda onda da Covid-19 trouxe a necessidade de implementação de novas medidas de isolamento social. Desta forma, terá impacto negativo sobre a demanda e, assim, deve reduzir o ritmo de elevação nos preços de bens e serviços.


Andrade afirma que “a decisão de aumento da taxa Selic deveria ter sido postergada até que os efeitos das medidas de isolamento sobre a demanda e, consequentemente, sobre a trajetória da inflação pudessem ser avaliados”.


Desta forma, apesar da trajetória recente de aumento, o momento seria de esperar para avaliar o comportamento da inflação em um ambiente de restrição da demanda. O aumento da taxa de juros é um elemento adicional de contração da demanda, desnecessário na atual conjuntura.


Além disso, a elevação da taxa Selic provoca aumento no custo de financiamento para empresas e consumidores em um momento em que a necessidade de financiamento tende a aumentar.


Fonte: Agência CNI de Notícias

Centro Empresarial Sibara

Avenida Brasil, 1500, sala 317

Centro | Balneário Camboriú

88.330-901

CONTATO:  (47) 3264.9639  |  3361.0191   |   3398.3820   |   9936.0147

Copyright © 2018 Vizzotto Editora - Todos os direitos reservados