E-SOCIAL INTEGRA PAUTA DE PRIORIDADES DA ÁREA TRABALHISTA


Foto: Joffi/Pixabay


A Comissão de Política de Relações Trabalhistas da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CPRT/CBIC) deu início às ações de 2022 da entidade, relacionadas às questões Trabalhistas e de Segurança e Saúde no Trabalho (SST). Realizada em formato virtual, durante a primeira reunião do ano ficou definido que o eSocial será uma das ações primeiras da Comissão para este ano. Presidida por Fernando Guedes Ferreira Filho, a reunião contou com a participação do líder de SST da CPRT, Haruo Ishikawa, além do médico do Trabalho e consultor da CBIC, Gustavo Nicolai, que apresentou a “Análise de dados históricos de acidentes de trabalho na indústria da construção”, assim como de representantes da Área de Responsabilidade Social da CBIC e do Grupo CBIC Jovem sobre o Chatbot.


Dentre as novidades, Haruo Ishikawa informou que o setor da construção nacional, representado por Gianfranco Papalo, consultor do Seconci-SP, participará das discussões sobre a revisão do Repertório de Recomendações de SST nas reuniões da Organização Internacional do Trabalho (OIT), de 21 a 25/02, em Genebra, na Suíça. Sobre as ações da CPRT na área de Segurança e Saúde no Trabalho em 2021 e os resultados dos projetos correalizados com o Serviço Social da Indústria (Sesi Nacional).


Já a “Análise de dados históricos de acidentes de trabalho na indústria da construção” da CBIC, de 2010 a 2019, foi apresentada pelo consultor Gustavo Nicolai e será detalhada nos próximos dias na Agência CBIC e no CBIC Hoje. A ideia, segundo o presidente da CPRT, é usar os dados de acidentes mais efetivos no setor para tornar mais eficaz a atuação da indústria da construção na redução de acidentes. Como ação concreta para reduzir o número de acidentes no trabalho, o Grupo CBIC Jovem apresentou uma espécie de “Assistente Virtual” para os operários do setor da construção encontrarem conteúdos técnicos confiáveis sobre os assuntos que dizem respeito às suas ocupações.


A ideia é ter uma ferramenta para ajudar/ensinar o trabalhador do setor de forma que ele encare a tecnologia como aliada e não como ameaça. O próximo passo é utilizar Inteligência Artificial para transformar o Assistente Virtual em um chatbot, aumentando a interação, dinamismo e melhorando usabilidade do usuário. Ao dar suas impressões sobre SST, a consultora em Segurança e Saúde no Trabalho e supervisora do Departamento de Segurança do Trabalho do Seconci-MG, Andreia Kaucher Darmstadter, alertou sobre a entrada em vigor da quarta fase de implantação do eSocial, que passou a exigir o envio dos eventos de SST ao governo.


Fonte: CBIC

whatsapp-g975d2881e_1280.png