Buscar
  • Vizzotto Editora

Em cinco anos, canteiros de obras reduzem acidentes em 55%

Erguer edifícios, armar pontes ou pavimentar rodovias são atividades importantes social e economicamente para um país e exigem cuidados específicos com os profissionais que nelas atuam. Felizmente, o Brasil reduziu em 55% o número de acidentes laborais nos canteiros de obras entre 2012 e 2017, economizou R$ 31 milhões em procedimentos hospitalares na rede pública em 2017 e a indústria da construção tem perspectivas para avançar no fomento da qualidade de vida do trabalhador e na produtividade das empresas. Combate à informalidade, tecnologia e educação são aliados neste esforço.


Os dados constam no livro Segurança e Saúde na Indústria da Construção – Prevenção e Inovação, lançado na manhã durante o V Encontro Nacional de Segurança e Saúde no Trabalho na Indústria da Construção, no mês passado, em Brasília.


Realizado pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), por meio da sua Comissão de Política de Relações Trabalhistas (CPRT), com a correalização do Sesi

Nacional, o encontro fortaleceu a discussão sobre o tema, dentro da ação estratégica da CBIC de disseminar a cultura de prevenção de acidentes, ao abordar quatro importantes temas:


  • Indicadores em Segurança e Saúde no Trabalho

  • Segurança e Produtividade

  • Gestão de Segurança e Saúde no Trabalho

  • Inovações Tecnológicas


“Temos trabalhado no enraizamento de uma cultura de prevenção, mostrando ao setor que é possível antever riscos e melhorar procedimentos com vistas a conquistar canteiros mais seguros e trabalhadores mais saudáveis e esses resultados impulsionam esse esforço”, afirma o presidente da CBIC, José Carlos Martins.


A combinação de segurança e saúde fortalece a indústria da construção e protege o trabalhador. “O esforço que temos feito, em correalização com o Sesi Nacional e em parceira com outros atores, já produz frutos como a redução dos índices de acidentes na indústria da construção. Esse trabalho também é coerente com o combate à informalidade no setor. Nossa meta é garantir ao trabalhador as melhores condições de trabalho, de forma profunda. “, explica o presidente da CPRT e vice-presidente de Política de Relações Trabalhistas da CBIC, Fernando Guedes Ferreira Filho.


Yerson Retamal/Pixabay

Redução e impacto


Em 2017, foram registrados 549.405 acidentes de trabalho no Brasil. O setor da construção responde por pouco mais de 4,67% deste total, ou 25.647 casos de acidentes de trabalho – número 55,32 % inferior ao de 2012.


Quando se considera que o custo médio para o Sistema Único de Saúde (SUS) por procedimento hospitalar no caso de acidentes no local de trabalho ou a serviço da empresa em 2016 foi de R$ 980,51, a economia decorrente da redução do número de ocorrências observadas em 2012 (57.402 ocorrências) para o total observado em 2017, tem-se, uma economia para o SUS que supera a marca dos R$ 31,13 milhões, mesmo sem contar os custos com atendimentos ambulatoriais.


Prevenção


Os dados divulgados e debatidos durante o V Encontro Nacional fazem parte do livro Segurança e Saúde na Indústria da Construção – Prevenção e Inovação. Seus autores participarão de debate sobre os temas abordados. Tratam-se de consultores especializados em diferentes temas relacionados ao bem-estar do trabalhador da construção, que abordam em seus artigos pesquisas, estudos de caso, métodos diferenciados, soluções e propostas inovadoras, além de informações relativas à gestão de saúde e segurança do trabalho (SST) bem como exigências legais em vigor.

A publicação é uma realização da CBIC em correalização com o Sesi Nacional e traz para as empresas e profissionais que se envolvem com a prevenção na indústria da construção orientações sobre aspectos relevantes a serem considerados durante o trabalho neste complexo segmento.


Profissionais com amplo conhecimento e experiência tratam nessa publicação de temas modernos e de extrema relevância, como:


  • Estatísticas de acidentes do trabalho

  • Custo financeiro do acidente

  • Indicadores proativos de segurança nas obras

  • Produtividade e saúde e segurança

  • Gestão de segurança e saúde no trabalho na indústria da construção

  • Trabalho em altura

  • Uso de novas tecnologias em saúde e segurança, incluindo drones e aplicação do BIM (Building Information Modeling).

“Tenho muito orgulho do resultado desse trabalho, realizado com excelência por seus autores –profissionais da Academia e da Indústria –, que contribuíram para a elaboração desse livro tão importante para a nossa indústria”, destacou Fernando Guedes.


O livro explica que, além de produzir um efeito positivo na produtividade dos trabalhadores, os programas de saúde e segurança do trabalhador também colaboram com outros efeitos positivos, como a redução de custos com a perda de materiais, a atração e retenção de colaboradores, e a melhoria da imagem institucional da empresa.


Os artigos apresentam ainda ações relevantes que devem ser implementadas, sendo indicada como principal medida a qualificação da mão de obra por parte das empresas.

A conclusão é de que quanto menos anos de educação formal, quanto menos capacitado para a atividade for o trabalhador, maior é o risco de ocorrência de eventos acidentários. O livro está disponível para download, no site da CBIC, na área da CPRT.


Campanha Nacional de Prevenção


Durante o V Encontro Nacional também foi lançada a CANPAT Construção ciclo 2019/2020 que continuará abordando o tema Quedas em Altura. De iniciativa da CBIC, a Campanha Nacional de Prevenção de Acidentes na Indústria da Construção (CANPAT Construção) combina esforços com os principais atores da Segurança e Saúde do Trabalho: o Sesi, os Serviços Sociais da Indústria da Construção (Seconcis) e a Fiscalização do Trabalho. Seu objetivo é induzir ainda maior redução na incidência de acidentes na indústria da construção e tornar o ambiente de trabalho cada vez mais produtivo e seguro.


Fonte: CBIC

5 visualizações

Centro Empresarial Sibara

Avenida Brasil, 1500, sala 317

Centro | Balneário Camboriú

88.330-901

CONTATO:  (47) 3264.9639  |  3361.0191   |   3398.3820   |   9936.0147

Copyright © 2018 Vizzotto Editora - Todos os direitos reservados.