FIESC APRESENTA PROPOSTAS DE MELHORIAS NA INFRAESTRUTURA PARA A REGIÃO DA AMFRI


Foto: Free-Photos/Pixabay


Na última semana, a convite do Colegiado de Secretários de Desenvolvimento Econômico da AMFRI, a Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC) apresentou recorte regional das propostas de infraestrutura que a entidade defende. O prefeito de Navegantes, Libardoni Fronza, e os secretários de Planejamento Urbano da região também estiveram presentes na reunião. Em reunião virtual, o presidente, Mario Cezar de Aguiar, e o secretário-executivo da Câmara de Transporte e Logística da FIESC, Egídio Martorano, mostraram que a FIESC defende a execução de obras como a ampliação da capacidade da BR 101, que, na região, implica em investimentos estimados em R$ 1,7 bilhão.


Também foi apresentada a campanha “SC Não Pode Parar”, que busca sensibilizar os catarinenses e as autoridades para a precária situação das rodovias federais que cortam o Estado – como as BRs 101, 282, 470, 280 e 163.


O Presidente do Colegiado e Secretário de Desenvolvimento Econômico e Receita de Navegantes, Rodrigo Leonardo Vargas Silveira, destacou que a pauta com a entidade surgiu dentro do colegiado, e prontamente a FIESC aderiu o pedido da reunião. “Com os estudos apresentados relacionados aos investimentos necessários para a BR 101, BR 486 e até de outra via paralela à rodovia 101, ficou claro que o estudo apresentado é de curto, médio e longo prazo, começando então com o objetivo de criar esse ambiente com a política federal, estadual e municipal, e dos empresários, tentando superar os entraves para que possamos tirar do papel essas obras diante do crescimento econômico da nossa região”, destaca.


O Prefeito de Navegantes, Libardoni Fronza, colocou o município à disposição para as próximas reuniões e reforçou a importância de discutir a pauta regionalmente através da AMFRI. “Navegantes tem muito interesse em participar dessas discussões e dos próximos planejamentos, para que possamos, juntos, levar soluções e fazer cobranças, quando necessário, ao governo Estadual e Federal”, finaliza.


Outras propostas da agenda da FIESC na Foz do Itajaí são o acesso ao aeroporto de Navegantes, a ligação Itajaí-Navegantes, a retomada dos projetos ferroviários catarinenses e o trevo da SC 486 com a BR 101. Com reflexos indiretos, constam a defesa da celeridade nas obras com garantia dos recursos necessários para ampliação de capacidade das rodovias federais e as campanhas de educação de trânsito nas escolas e empresas.


“A sociedade catarinense tem que pressionar pela execução das propostas mais rapidamente possível sob pena de comprometermos o desenvolvimento do estado, pois, como ocorre com o restante do País, Santa Catarina passa por um processo de litoralização”, disse Aguiar.


Segundo Mario Aguiar, o acentuado crescimento populacional e econômico do litoral comprometerá cada vez mais a infraestrutura da região da Foz do Itajaí e de outras regiões litorâneas. “Por isso, é preciso discutir, por exemplo, soluções para o contorno de Itajaí, se será de Porto Belo a Penha ou de Porto Belo a Barra Velha ou ainda se será construída uma rodovia paralela. Os projetos que apresentamos aqui minimizam momentaneamente os problemas, mas não são solução para o longo prazo”, enfatizou.


Fonte: AMFRI