top of page

GESTÃO DE NEGÓCIOS – HOLDING VISA SEGURANÇA PATRIMONIAL


O modelo de holding de participação tem despertado interesse de incorporadoras imobiliárias. Neste tipo de negócio, uma empresa é criada como administradora de participações, para gerir uma ou mais incorporadoras envolvidas em empreendimentos na construção civil. A investidora aplica parte de seus recursos no capital das organizações e obtém participação nos lucros, que são repassados aos sócios-investidores. Segurança patrimonial, redução de carga tributária e facilidade na gestão tornam as holdings atrativas para pequenas, médias e grandes empresas.


Fabiano Costa, gerente da Roderjan Account, consultoria contábil voltada à construção civil, explica que uma holding possui CNPJ e estatuto social próprios e pode ser constituída por meio de sociedade simples, limitada ou anônima. “No contexto das incorporadoras imobiliárias, podemos defini-la como uma ‘empresa mãe’, idealizadora dos empreendimentos. É o modelo ideal quando o foco é expandir a curva de crescimento, porque reduzir carga tributária aumenta o aproveitamento de lucros. A consultoria contábil é eficaz para direcionar essas participações societárias”, avalia Costa.


Na prática, uma holding impede que eventuais prejuízos de um empreendimento afetem o lucro de outros, pois para cada obra lançada pela incorporadora é criada uma Sociedade de Propósito Específico (SPE), que absorve os riscos da construção. Desta forma, os sócios (pessoa física) têm seu patrimônio pessoal e outros empreendimentos resguardados. “Essa estruturação traz mais credibilidade no mercado, tanto diante do cliente que vai adquirir o imóvel, quanto junto a instituições financeiras, quando as incorporadoras buscam recursos para financiar obras”, conclui Costa.

Foto: Divulgação/Roderjan

whatsapp-g975d2881e_1280.png
bottom of page