INDÚSTRIA DE SC REGISTRA 56 MIL VAGAS DE EMPREGO EM 2021



Foto: Free-Photos/Pixabay


Os dados do Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados na última semana, e analisados pelo Observatório da Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC), refletem o bom resultado da economia catarinense no primeiro semestre deste ano. De janeiro a junho, foram abertas 126.111 novas vagas formais de emprego, número que coloca Santa Catarina atrás apenas de São Paulo (491.021) e Minas Gerais (185.578). Já a indústria da transformação catarinense gerou 5.634 vagas formais de trabalho em junho, o terceiro maior resultado do setor no País, e somado ao desempenho da construção, foram 6.986 novas posições criadas em junho - a maior contribuição para o saldo positivo de 14.966 empregos em Santa Catarina. O setor de serviços, comércio e agropecuária registraram saldo de 4.125, 3.730 e 125, respectivamente.


No saldo acumulado do ano, a indústria geral registrou 55.962 novas vagas, enquanto a construção civil obteve saldo positivo de 12.015. Um desempenho muito superior ao primeiro semestre de 2020, quando esses setores registraram saldos de -14.532 e 636, respectivamente.


O presidente da FIESC, Mario Cezar de Aguiar, afirma que o resultado demonstra a força da indústria e da construção catarinense na manutenção do ciclo de expansão da atividade econômica. “O número também reflete a importância do setor para a economia catarinense, uma vez que somos responsáveis por 27% do PIB estadual, e acabamos induzindo o desenvolvimento do nosso Estado”.


De acordo com análise do Observatório FIESC, outro fator importante para o bom resultado na geração de empregos é o avanço da vacinação contra Covid-19 em Santa Catarina e no País, o que amplia a confiança com a recuperação econômica e a perspectiva de consumo. Um indicador disso é o aumento progressivo do Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI), que vem sendo observado desde maio e, em julho, apontou 64,9 pontos em Santa Catarina.


A análise dos dados estão disponíveis no Observatório FIESC.


Fonte: FIESC