RESULTADOS DO PIB BRASIL E DA CONSTRUÇÃO NO 1º TRIMESTRE SURPREENDEM


Foto: BUMIPUTRA/Pixabay

A economia brasileira surpreendeu e cresceu 1,2% nos primeiros três meses de 2021 em relação ao último trimestre de 2020, depois de registrar queda de 4,1% no último ano. Os dados do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil foram divulgados na terça-feira (01) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Já o PIB da construção civil, que é setor estratégico para o desenvolvimento sustentado do País, cresceu 2,1% no 1º trimestre de 2021 em relação ao 4º trimestre de 2020, superando a alta do PIB nacional e mostrando, mais uma vez, a força do setor na economia nacional.


Em 2020, mesmo considerando as dificuldades impostas pela chegada da pandemia, a construção foi o setor que mais gerou novos postos de trabalho com carteira assinada no País (105.248 novas vagas). A economista do Banco de Dados da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), Ieda Vasconcelos, destaca que “a construção cresceu e surpreendeu, mas o setor ainda está 2,89% abaixo do 4º trimestre de 2019. Portanto, ainda existem fortes incertezas para que esse crescimento seja consolidado. A maior delas, neste momento, é o incremento no custo dos insumos, que não dá trégua”.

AUMENTO DOS CUSTOS DA CONSTRUÇÃO

Desde julho de 2020, os preços dos materiais de construção vêm apresentando altas expressivas, proporcionando mais incertezas, adiamento de novos lançamentos e preocupação no curto e médio prazo. Conforme os resultados do Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), calculado e divulgado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), o custo da construção acumulou alta de 12,99% nos últimos 12 meses encerrados em abril de 2021. Neste período, o custo com material apresentou elevação de 29,90%.


A preocupação com a falta e aumento dos insumos foi refletida na Sondagem da Indústria da Construção Civil, realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), com o apoio da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC). No 1º trimestre de 2021, a alta dos insumos foi apontada por 57,1% dos empresários entrevistados como o maior problema que o setor enfrenta.


A alta dos preços dos materiais de construção já apresenta consequências. Os Indicadores do Mercado Imobiliário, divulgados pela CBIC, revelaram queda de 58% dos lançamentos nos três primeiros meses de 2021, em relação aos últimos três meses do ano passado.

Fonte: CBIC