SC ENCERRA 2021 COM 3ª MAIOR CRIAÇÃO DE EMPREGOS DO PAÍS


Foto: Nickbar/Pixabay


A indústria da transformação de Santa Catarina encerrou 2021 com a criação de 51.715 novas vagas formais de emprego. O resultado coloca o estado na terceira posição no ranking nacional, atrás apenas de São Paulo (112.983) e Minas Gerais (58.396). De acordo com análise do Observatório FIESC sobre dados do Novo Caged, divulgados nesta primeira semana de fevereiro, a indústria catarinense foi responsável por 11,8% da abertura de novas vagas formais do setor no país. No cenário nacional o setor da construção se beneficiou com um patamar historicamente mais baixo dos juros do financiamento imobiliário, apresentando melhoras na utilização da capacidade instalada, nos montantes investidos e na geração de empregos. No estado, houve incremento de 12,6% no número de empregados em 2021, com 12.713 novas vagas criadas.


Segundo o presidente da FIESC, Mario Cezar de Aguiar, Santa Catarina vive hoje uma realidade de pleno emprego, com a menor taxa de desocupação do país. “A indústria catarinense tem uma contribuição fundamental neste resultado. A qualidade e a competitividade das nossas empresas geram oportunidades de trabalho e renda, impulsionando o desenvolvimento do estado e criando um ciclo virtuoso para a nossa economia”, afirma. Com relação ao saldo geral de emprego, Santa Catarina encerrou 2021 com a abertura de 167,9 mil novas vagas formais, o que representou 6,1% do total nacional e a quinta posição entre os estados. O maior resultado foi registrado no setor de Serviços (66.806), seguido pela Indústria (66.229), Comércio (33.548) e Agropecuária (1.271).


Santa Catarina registrou em 2021 a maior expansão na atividade industrial do País, com crescimento de 12,4% até novembro. A demanda por Bens de Capital impulsiona esse resultado. De acordo com o economista do Observatório FIESC, Marcelo de Albuquerque, o setor de Máquinas e Equipamentos aumentou o total de pessoas empregadas em 13,4% em 2021, com abertura de 6.860 novos postos de trabalho. Da mesma forma, no setor de Metalmecânica e metalurgia, a variação foi de 10,8%, com geração de 6.124 novas vagas. Outro destaque está na Indústria Automotiva, que apesar dos entraves na cadeia logística, gerou 2.549 novas vagas. Houve um bom desempenho na atividade de cabines, carrocerias e reboques, com incremento de 22,4% nas vagas formais do setor em 2021.


Fonte: FIESC